Folia de Reis em Paraty

Em Paraty, a Folia de Reis tem início no dia 8 de dezembro, dia de Nossa Senhora da Conceição e termina em 20 de janeiro. Durante este período, os grupos de violeiros e cantadores de música tradicional se reúnem em locais previamente agendados para recitar versos antigos que contam a história do nascimento de Jesus.

Por Diuner Mello

A Folia de Reis é uma tradição portuguesa, semelhante à Folia do Divino. É um grupo de cantadores com viola, cavaquinho, pandeiro e caixa, que visitam as casas no período de 08 de dezembro a 20 de janeiro. Mesmo que, previamente acertada a visita, a casa deverá estar fechada e com as luzes apagadas. À chegada, os cantadores pedem ao dono para abrir a casa para que possam cantar seus versos. A cantoria narra a anunciação do nascimento e a visita dos Reis ao Menino Jesus.

Após a apresentação, são servidos pratos típicos deste tempo como, por exemplo, rabanadas, vinhos, doces e salgados. Se esta é a única ou a última casa visitada naquela noite, é comum dançarem ciranda (dança típica de Paraty). Ao contrário da Folia do Divino, que se apresenta a qualquer hora, a Folia de Reis só se apresenta durante à noite até o raiar do dia.

Em Paraty, não existe, nem nunca existiu, a presença dos palhaços e mascarados comuns às folias de outros lugares. Hoje, se apresenta um grupo de tocadores acompanhado de um grupo de cantadores que visitam as residências neste período.

 

Reis – autor anônimo

Meu senhor, dono da casa
Dá licença d’eu chegar…ai….
De fora são os três Reis
Que boa noite vêm lhe dar…
Dia 25 de março foi Maria
Anunciada…ai…
Para ser mãe de Cristo
Lá no céu foi premiado….
Quem anunciou Maria
Foi o anjo Gabriel… ai…
Ela ficou três meses
Na casa de Isabel…
Vamos salvar a casa Santa
Onde Senhora fez Morada… ai…
Onde está o cálice bento
E a hóstia consagrada….
São José foi buscar flores
Num caminho tão comprido…ai…
Quando São José chegou
O menino era nascido….
Meia noite bateu o sino
Na igreja de Belém…ai…
Meu senhor, dono da casa
Vai me desculpar…ai…
Vamos para muito longe
Não podemos demorar…
No mais adeus, adeus
Até o ano que vem…ai…
O senhor fica com Deus
E com Deus vamos também…