O Caminho do Ouro segundo Marcos Ribas

O livro de Marcos Caetano Ribas, lançado em abril de 2003, é uma cronologia histórica ilustrada e comentada sobre a antiga trilha que ligava o litoral sul do Rio de Janeiro ao Vale do Paraíba, aproveitada no Século XVII para o escoamento do ouro de Minas. A partir de uma pesquisa histórica e arqueológica, o autor reúne, pela primeira vez num só livro, referência a diversos documentos existentes sobre o assunto.

O trajeto, utilizado originalmente pelos índios da região, serviu aos portugueses para iniciarem o processo de colonização do interior do Brasil, e só foi descartado na segunda metade do século 19, com a abertura da estrada de ferro até Guaratinguetá, no fim do ciclo do café. Alguns temas ganham destaque no livro como os índios, a Casa dos Quintos e as tropas de carregamentos. Há também transcrições dos mais antigos relatos de viagens que se tem registro, onde estão incluídas citações sobre Paraty e o Caminho do Ouro.

O livro é o resultado de cinco anos de integral dedicação do autor ao estudo do Caminho, realizando diferentes projetos em que recebeu patrocínio da Fundação RioArte, da Petrobrás e do MinC para consultar cientistas, historiadores, arqueólogos, antigos moradores e visitar acervos em várias partes do país e em Portugal. A idéia era aprofundar estudos sobre as ruínas que identificou no Caminho, num trecho que se encontrava dentro de um sítio adquirido por ele, localizado na antiga Serra do Facão. O levantamento arqueológico do local e a busca por documentos existentes sobre o assunto culminaram neste segundo livro. O primeiro, Descaminhos, foi lançado em 2001. Hoje, quase toda a estrada se encontra sob a mata.

Marcos Caetano Ribas, nascido em Minas Gerais, é o consagrado diretor do Grupo Contadores de Estórias, companhia de teatro bastante conhecida dentro e fora do Brasil. Há trinta anos cria espetáculos para bonecos, teatro de rua e dança contemporânea. Hoje dirige o Teatro Espaço em Paraty, cidade que, há 40 anos, escolheu para viver com a esposa e parceira Rachel.

Consultores e especialistas nacionais e estrangeiros sugerem o tombamento do Caminho do Ouro como um dos monumentos que devem ser recuperados e protegidos para a memória da humanidade. A justificativa não é pouca e está bem retratada na história desta importante rota que agora Marcos reúne e traz à tona. O livro A História do Caminho do Ouro em Paraty é vendido apenas pela Internet.

www.caminhodoouro.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*


3 + = cinco

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>