GILBERTO GIL E LUÍS PEREQUÊ FALAM SOBRE CULTURA CAIÇARA E DEFESO CULTURAL

Numa conversa com Gilberto Gil, realizada no Rio de Janeiro ontem e mediada por Cláudio Prado para o evento Virada Digital, Luís Perequê expôs sua idéia de “Defeso Cultural” como um conceito que, incorporado ao pensamento de políticas públicas, pode ajudar às cidades turísticas a protegerem e preservarem sua cultura.

Essa idéia foi apresentada pela primeira vez na FLIP de 2009, numa mesa com Ana Carla Fonseca que falou sobre economia da cultura. Esse conceito é facilmente entendido por relacionar a preservação da cultura como uma necessidade semelhante: a preservação de espécies marinhas ameaçadas de extinção. Para evitar isso foi estabelecido um período de proibição da atividade pesqueira, exatamente o período de reprodução das espécies e foi chamado de período de Defeso.

Gilberto Gil concordou que a direção dada ao desenvolvimento turístico não só no Brasil, mas também na Europa e Estados Unidos, tem como conseqüência o aniquilamento da vida cultural desses lugares.

Citou cidades do recôncavo baiano e outras regiões do Brasil que também sofrem com esse processo e disse que é válido empreender iniciativas na direção da preservação, pois o próprio modelo econômico que gera essa atitude predatória está sendo obrigado a se repensar mundialmente.

Também ressaltou avanços quanto à valorização de nossas raízes culturais e respeito a sua diversidade. Citou Gilberto Freire como inspirador dessa atitude de valorização do que é original em nossa cultura, do que brota espontaneamente da miscigenação e convivência comunitária.

Uma das dificuldades que ele apontou para que sejam implantadas com sucesso medidas de proteção à cultura se encontra no próprio anseio da população por um desenvolvimento financeiro que nos casos das cidades turísticas se traduz facilmente como aumento de atividades e fluxo turístico. Essa idéia implantada profundamente na população dificulta o entendimento de como as duas coisas podem andar juntas sem que uma elimine a outra.

Acredita que é preciso pensar mais profundamente o que significa diversidade cultural. E finalizou com uma frase: “Small is beautiful.”

Em relação ao trabalho de Luís Perequê colocou a importância de haver artistas que, como ele, dão continuidade ao trabalho de tantos outros que lutaram antes pela preservação e valorização da cultura.

Luis Perequê e Gilberto Gil (em vídeo) são alguns dos convidados da Virada Digital para participar do painel “Paraty Digital  – Paraty no século XXI”, cuja discussão vai girar em torno dos caminhos alternativos para a produção e o consumo da cultura que, aliados à tecnologia, permitam o desenvolvimento sustentável. Acontece no dia  12 de maio, às 19h no Hub Estrela.

Mais informações, acesse a Virada Digital.

Mais informações, clique em Luis Perequê

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


seis × 3 =