A Virada Digital veio para ocupar

Inovação, interatividade e sustentabilidade são as três palavras que mais serão ouvidas nestes três dias de Virada Digital que começou ontem (11) e que se estenderá até o domingo (13/05) em Paraty.

por Vanessa Myho

E mesmo para quem não acompanhava a vinda do Festival, é impossível não notar nos seis Hubs espalhados pela cidade. Hub é o termo utilizado para designar a parte central da conexão de uma rede, oferecendo espaço para a troca de informações e – por que não, ampliar o debate.

O primeiro dia começou com alterações na programação da manhã, que foi logo transferida e comunicada pela produção do evento. Durante a manhã, houveram visitas de muitas escolas públicas e privadas que marcaram presença no Rio Lan Party, um espaço de 254m² com computadores e acesso livre à internet, buscando oferecer uma outra experiência aos alunos e ressignificar o conceito de lan house; tema em destaque para hoje (12) às 17 horas no Encontro de Lan Houses de Paraty, próximo ao Hub Estrela.

As pessoas estão chegando e se aproximando aos poucos do evento, cada uma com expectativas diferentes para enriquecer o debate. A programação de hoje, sábado (12), será rica pela diversidade em linguagens digitais em instalações, exposições artísticas, oficinas e paineis temáticos. De destaque, um ônibus hacker estará estacionado ao lado do Hub Estrela oferecendo oficinas que estimulem o interesse e ensinem como o trabalho é simples para se começar a praticar ações políticas na sua própria cidade. Moradores e interessados por Paraty, fiquem atentos à Oficina do Ônibus Hacker “Queremos Saber”, orientado pela cineasta e documentarista Patricia Cornils, colaboradora da Casa da Cultura Digital, que falará sobre as informações públicas disponíveis e abertas aos cidadãos. Ainda, abordará os modos para conseguir o acesso a essa informação pública e sobre o que fazer com ela.

São práticas de ocupação, como esta provocada pelo Ônibus Hacker e por outros coletivos convidados, que talvez sejam as propostas principais da Virada Digital. O Festival já está no seu segundo dia e, de certo, terminará rapidamente. Por isso, vale a pena conferir e se articular nos encontros, debates e oficinas para que se continue a provocação, questionamento e reflexão sobre o panorama que começa a se configurar em rede nas cidades. Digitais ou não, o diálogo e o questionamento devem continuar para que se valorize o espaço e a cultura de cada um. 

One Response to A Virada Digital veio para ocupar

  1. Flávio de Souza

    Olá Vanessa! Excelente texto com ricas informações.
    Abraços!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


três × = 9