Estudantes na rede digital

O público é bastante diversificado. Olhando por cima, circulam por aqui umas 200 pessoas.

por Thierry Cintra Marcondes

Jovens, crianças e adolescentes foram incentivados pela organização a vir ao evento através das escolas. Eles estavam bastante animados e se diziam bastante empolgados para usar computador com 100 Megas de banda larga, jogar com os amigos e conversar via Facebook, Orkut. As crianças comentaram que gostam bastante de estar nas redes sociais para manter contato com seus amigos, inclusive, que é um lugar onde fazem novas amizades, tanto pela interação via redes sociais como pelos jogos onlines.  Alguns me disseram que passam mais tempo online (virtualmente) com seus amigos do que brincando ou jogando.

Os moradores de Paraty disseram que o que mais os chamou a atenção foram os 100 Megas de internet gratuita, já que, segundo eles, o mercado local oferece no máximo um Mega, e que quando necessitam de uma internet um pouco mais rápida vão a lan houses, e que estes são locais bastante frequentados por paratienses.

No período da tarde para noite, o público jovem foi esvaziando e foi chegando um público mais adulto, atraído pelas palestras técnicas como procedimento cirúrgicos em 3D, inclusão digital, empreendedorismo em rede, etc. Pessoas que trabalham com várias tecnologias e internet vieram buscar contatos ou conhecer trabalhos similares que possam resultar em novas parcerias de trabalho (networking).

*Thierry Cintra Marcondes é aluno da faculdade de Engenharia Mecânica da Universidade Estadual de Campinas, responsável pelo cálculo de compensação de Carbono aplicado pelo Lepac Paraty e convidado pelo Paraty.com para registrar a Virada Digital.

One Response to Estudantes na rede digital

  1. Flávio de Souza

    Grande Thierry,
    Muito bom o que escreveu. Agente consegue entender com clareza o que foi essa tal “Virada Digital”. Abraços amigo!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


+ oito = 16